O município de São José do Belmonte será palco das tradicionais Cavalhada e Cavalgada. As duas atividades acontecem nos dias nos dias 25 e 26 de maio, respectivamente. Elas movimentam a economia da cidade e recebem milhares de turistas.

A Cavalhada Zeca Nirom representa a luta entre os Mouros e os Cristãos. O nome foi dado em homenagem ao Belmontense de mesmo nome, que fundou a atividade no ano de 1996 e faleceu no ano de 2003. Ela tem influência direta nos torneios de cavaleiros da Idade Média e foi trazida ao Brasil no século XVI pelos portugueses. Na apresentação há a disputa para saber qual grupo acerca mais lanças na argolinha. Se é o encarnado (vermelho) ou o azul. Cada equipe tem seis cavaleiros e todos eles utilizam uma lança. Segundo Edízio Carvalho, membro da associação cultural Pedra do Reino, são realizadas duas corridas para acertar a argolinha. “No primeiro momento, o cavaleiro joga a lança por cima da corda e pega do outro lado. Isso se chama o “Lance das Lanças”. Já no segundo momento, o cavaleiro utiliza a espada para acertar a lança”, explica.

A concentração ocorre às 14h, em frente a Igreja Matriz de São José, localizada no centro da cidade, onde se apresentará a Banda Filarmônica do município e em seguida a Banda de Pífano do Mestre Ulisses. “O cortejo até o Carvalhão virá com duas portas-bandeiras de frente, seguido pela Rainha da Cavalhada, Lara Barros, acompanhada dos reis Toninho Carvalho (azul) e Caio Neres (encarnado). Em seguida vem as amazonas, que são as mulheres a cavalo, representando cada cor. No final, vem os cavaleiros representando cada cor. Eles vestem manto, chapéu e carregam uma lança na mão.” descreve Carvalho. Ao passar em frente ao Castelo Armorial, na metade do caminho, o grupo encontra com as madrinhas, as daminhas e as floristas.

O Carvalhão é o centro de convenções do município. Além das etapas da Cavalhada, haverá diversas apresentações de danças. O evento termina às 17h30 com a divulgação do grupo vencedor e a coroação dos reis. Depois, o cortejo volta até a Igreja Matriz, onde acontece a cerimônia de despedida do público e o agradecimento por mais uma Cavalhada.

Prefeito de Camaragibe entra na Justiça para tentar barrar votação de impeachment que acontece nesta quinta

 

Se o processo for aprovado, Demóstenes Meira sai do cargo imediatamente. Foto: Reprodução/TV Globo (Se o processo for aprovado, Demóstenes Meira sai do cargo imediatamente. Foto: Reprodução/TV Globo)

Mesmo com a Câmara de Vereadores de Camaragibe tendo marcado para essa quinta-feira (23) a votação do pedido de impeachment do prefeito Demóstenes Meira (PTB), a defesa do gestor entrou com mandado de segurança na comarca da cidade contra o processo. A decisão tem como objetivo evitar uma eventual saída do mandato, que pode acontecer em caso de aval dos parlamentares. Não há prazo para decisão judicial.

Mesmo com o pedido ao Judiciário, a sessão de votação do impedimento continua com início previsto para as 9h e será aberta ao público. No início, a defesa do prefeito Meira terá até duas horas para se pronunciar contrária ao afastamento. Em seguida, o autor da denúncia, vereador Toninho Oliveira (PTB), irá se pronunciar pelo mesmo prazo de tempo. Na sequência, cada vereador terá até 15 minutos para defender seu posicionamento e, assim, a votação será iniciada.

São 13 parlamentares no Legislativo camaragibense. Para o processo de impeachment ser aprovado, são necessários dois terços dos votos, ou seja, o aval de nove vereadores. Se o pedido for aprovado, a vice-prefeita Nadegi Queiroz (PSDC) será convocada para tomar posse como prefeita de Camaragibe. Se a maioria qualificada não for atingida, Demóstenes Meira continua à frente da Prefeitura da cidade.