Movimento afirma que outros militantes foram mortos na mesma ação, e que não há certeza sobre os motivos do crime

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) informou nesta sexta-feira (22) o assassinato de Dilma Ferreira Silva, coordenadora regional do movimento em Tucuruí (PA). O crime aconteceu no assentamento Salvador Allende, zona rural de Baião. 

“O MAB ainda não sabe ao certo o número de pessoas assassinadas e nem os motivos do crime. (…) É mais um momento triste para a história dos atingidos por barragens que o dia de hoje celebravam o dia internacional da água“, diz a nota publicada pelo movimento. “O MAB exige das autoridades a apuração rápida deste crime e medidas de segurança para os atingidos por barragens em todo o Brasil”.

Segundo a Polícia Civil, foram mortos também o marido Dima, Claudionor Costa da Silva, 42, e um homem identificado como Hilton Lopes, 38. Os investigadores disseram que ainda não sabem a motivação do crime. 

Em 2011, Silva participou de uma audiência com a então presidenta Dilma Rousseff (PT) e entregou um documento em que pedia uma política nacional de direitos para os atingidos por barragens, com atenção especial par as mulheres atingidas.

A usina hidrelétrica de Tucuruí, construída durante a ditadura militar, é a maior hidrelétrica considerada genuinamente nacional. Ela localiza-se no rio Tocantins, a 310 km da capital Belém (PA). Cerca de 32 mil pessoas foram deslocadas de suas moradias para construção da barragem, e há mais de 30 anos lutam para garantir direitos.

Investigação

Após denúncia do MAB,  Helder Salomão (PT/ES), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados (CDHM), cobrou que Helder Barbalho, governador do Pará, Ualame Machado, secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, e Gilberto Martins, procurador-geral de Justiça, tomem providências o mais rápido possível para apurar o assassinato.  

Segundo nota publicada no site da Câmara dos Deputados, Salomão ainda solicitou no documento enviado aos demais que a CDHM seja informada por todas as ações tomadas para apurar o crime. “Considerando as informações preliminares, podemos dizer que possivelmente os crimes são uma reação à luta dessas pessoas pelos direitos humanos”, afirma o deputado

Salomão reforça que a Comissão tem a atribuição de receber, avaliar e investigar as denúncias relativas a qualquer ameaça ou violação de direitos humanos. “Além disso, o assassinato de defensores de direitos humanos é uma grave violação dos compromissos internacionais assumidos pelo Brasil na Assembleia Geral das Nações Unidas”, frisa o deputado.

Por Daniel Giovanaz

Jorge Solla

SANGUE NO CAMPO

É com muito pesar e com muita indignação que recebo a notícia do brutal assassinato de Dilma Ferreira Silva e toda sua família, num crime de perseguição política para calar a voz de uma militante que dedicava sua vida à lutar por justiça, defendendo famílias pobres, de negros e índios. A turma da Casa Grande iniciou uma guerra, e nesse momento, nós estamos perdendo, de luto, enterrando nossos mortos.

Cidades Acessando Blog

Panificadora Samuel
Escola Monteiro Lobato
 

CLICK AQUI E CONFIRA AS FOTOS!

Educação Infantil,

Ensino Fundamental e Médio

(87) 3838.1481 (87) 3838.2246

Siteemonteirolobato.com.br

Dr. Jamildo Carvalho
Desfile Cívico Escola M.L

AABB

Bloco a Onda 2017

Galeria de Fotos!