No final da tarde de ontem dia (29), um acidente entre dois carros na BR 428, no município de Orocó, no Sertão de Pernambuco, deixou uma pessoa morta e outra ferida por volta das 17:30. 
 
A vítima fatal foi identificada como Romildo Barros Brandão, de 52 anos. Outra pessoa que estava em uma D-20 ficou ferida, e não teve a identidade revelada. Ele foi encaminhado para o hospital da cidade. Já o corpo de Romildo Barros foi levado para o IML de Petrolina. O estado de saúde da pessoa que ficou ferida não foi revelado.

 

 

Criança de 7 anos morre atropelada na BR-232, em Arcoverde

 

Uma criança de sete anos morreu atropelada nesta quarta-feira (29) na BR-232, em Arcoverde, no Sertão de Pernambuco. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o menino estava descendo de um ônibus quando foi atingido por um carro, na zona rural do município.
 
Ainda de acordo com a PRF, o motorista do veículo tentou desviar da criança, mas perdeu a direção e o carro capotou. Ele e a esposa foram socorridos para uma unidade de saúde e tiveram ferimentos leves.
 

Policiais investigados teriam gerado patrimônio ilegal de R$ 5 milhões

 

A Polícia Civil detalhou, nesta quinta-feira (30), dados da investigação da Operação Bis In Idem, deflagrada na última quarta-feira (29), em Caruaru, no Agreste do Estado. Na ocasião, três policiais civis e um policial militar, com aproximadamente dez anos de serviço, foram acusados de crimes como lavagem de dinheiro, concussão (extorsão cometida por um funcionário público), corrupção passiva, receptação qualificada e usurpação de função pública. Os atos ilícitos teriam gerado um patrimônio de aproximadamente R$ 5 milhões, incluindo móveis, imóveis e contas bancárias. Todos os bens foram bloqueados.

“Ao longo das investigações nós identificamos que a linha base da atuação dos investigados era o ganho financeiro a qualquer custo”, afirmou o delegado Ramon Teixeira, um dos responsáveis pelo caso. Segundo ele, as práticas criminais eram variadas. “Os policiais cobravam as pessoas como condição para que o trabalho policial pudesse ser realizado. Eram exigidas quantias para, por exemplo, a recuperação de veículos”, detalhou.

 

 

Ainda de acordo com ele, o grupo também exigia propina para sabotar investigações criminais, usando o dinheiro como uma forma de ameaçar os investigados. “Houve ainda a detecção de crimes aparentemente menores, mas igualmente graves, como a solicitação de diárias para os veículos retidos ou custodiados em delegacias”, frisou. Após a prisão, os policiais investigados se recusaram a cooperar com a Polícia Civil.

A operação se iniciou após a denúncia de uma vítima que procurou a Polícia Civil para denunciar o esquema. Até agora foram identificadas dez pessoas que não teriam se submetido às exigências do grupo. A PCPE afirma que há bastante indício da existência de outras pessoas lesadas ainda não identificadas e que podem vir à tona com a divulgação do caso. “Todos podem e devem nos procurar, mesmo quem não tenha ligação com o caso, mas sofreu algo parecido. Esses crimes não merecem ficar impunes”, concluiu Ramon Teixeira. Esta é a 47ª operação de repressão qualificada da Polícia Civil neste ano. (Via: Folha PE)

A polícia informou também que, o menino chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
 
O corpo foi levado para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru. O caso foi repassado à Delegacia de Polícia Civil para as providências cabíveis.
 

Romero Jucá é hostilizado durante voo: 

 

Assista o vídeo:
 
 
O senador Romero Jucá (PMDB-RR) passou por uma saia justa durante um voo. Antes de o avião decolar, ele foi abordado por uma passageira, que o chamou de “especialista em acordo nacional”.
 
Visivelmente irritado, Jucá tentou tirar o celular da passageira, mas não conseguiu. A mulher segue ironizando “os acordos” para votar a reforma da Previdência, a reforma trabalhista e outros projetos polêmicos do governo. “Como o senhor está fazendo esse acordo? Explica”, disse ela, estimulando protestos de outros passageiros. “Estancou a sangria?”
 

 

Pessoas que nunca tiveram dengue não devem tomar vacina da doença, diz Anvisa

 

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária divulgou nesta quarta-feira (29) que o laboratório Sanofi-Aventis, fabricante da vacina da dengue, apresentou informações que sugerem que pessoas que nunca tiveram contato com o vírus da dengue podem desenvolver formas mais graves da doença caso tomem a vacina. A vacina Dengvaxia foi aprovada no Brasil em 28 de dezembro de 2015 e não é oferecida pelo Programa Nacional de Imunizações.
 

 

A suspeita do laboratório, apresentada nesta semana,  ainda não é conclusiva, mas, diante do problema, a recomendação da Anvisa é que a vacina não seja tomada por pessoas que nunca tiveram dengue. Apesar de esclarecer que a vacina por si só não é capaz de desencadear um quadro grave da doença nem induzir ao aparecimento espontâneo da dengue – para isso, é preciso ser picado por um mosquito infectado -, existe a possibilidade de que pessoas soronegativas desenvolvam um quadro mais agudo de dengue caso sejam infectadas após terem recebido o medicamento.
 
A bula da vacina será atualizada enquanto a Anvisa avalia os dados completos dos estudos, que ainda serão apresentados pelo fabricante. A vacina da Sanofi, chamada Dengvaxia, é a única aprovada no Brasil. O produto é indicado para imunização contra os quatro subtipos do vírus. Para as pessoas que já tiveram dengue, a Anvisa avalia que o benefício do uso da vacina permanece favorável.
 
Estudo: Por meio de um comunicado, a Anvisa esclareceu que “este risco não havia sido identificado nos estudos apresentados para o registro da vacina na população para a qual a vacina foi aprovada”. A agência informou que, antes do registro, os efeitos da imunização foram estudados em mais de 40 mil pessoas em todo o mundo, e que as pesquisas seguiram os padrões estabelecidos por guias internacionais da Organização Mundial da Saúde (OMS). (Via: Agência Brasil)
 
 

Deixe uma resposta