Apenas dois jogos serão realizados no final de semana pelo Campeonato Pernambucano sub-20. As partidas acontecem às 15h e são válidas pela quinta rodada.

Neste sábado, no estádio Ademir Cunha, o América-PE recebe o Atlético-PE. No domingo, no estádio Lacerdão, jogam Central e Sport, na briga pela liderança do grupo B. O Afogados da Ingazeira com 9 pontos lidera o grupo A, enquanto que o Náutico também com 9 pontos lidera o grupo C.

Classificação do Campeonato Pernambucano sub-20:

Grupo A
1º Afogados – 9
2º Serra Talhada – 4
3º Salgueiro – 4
4º Flamengo de Arcoverde – 0

Grupo B
1º Sport – 7
2º Santa Cruz – 5
3º Central – 5
4º América-PE – 4
5º Atlético-PE – 0

Grupo C
1º Náutico – 9
2º Porto – PE – 6
3º Vera Cruz – 3
4º Belo Jardim – 0

 

Salgueiro empata em casa com Sampaio Corrêa pela na Série C

 

 

Carcará saiu na frente com Cássio, aos 15 do primeiro tempo, e Bolívia Querida empatou com Diego Silva, aos 31 da etapa final

Globo Esporte / Foto: reprodução

Um jogo de times que brigam pelas primeiras posições do Brasileiro da Série C, o resultado foi de igualdade. Salgueiro e Sampaio Corrêa se enfrentaram na noite deste sábado, no Cornélio de Barros, pela 16ª rodada da competição e ficaram no 1 a 1. O resultado manteve as equipes nas posições que iniciaram, mas tanto pernambucanos como maranhenses, podem cair na tabela com os resultados finais da rodada.

O Salgueiro saiu na frente e logo aos 15 minutos do primeiro tempo, abriu o placar com Cássio. O emapate do Sampaio só veio na etapa final, aos 31 com Diego Silva.

Com o empate o Sampaio foi a 29 pontos, segue líder, mas tem que torcer para que o CSA não vença o Fortaleza para seguir no topo. O Salgueiro foi para 21 pontos e permanece na quinta colocação.

Na próxima rodada do Brasileiro da Série C, o Salgueiro enfretará o CSA, fora de casa. A partida será realizada na segunda-feira da semana que vem (04), no Rei Pelé, às 21h. O Sampaio tem novo jogo como visitante na competição. A Bolívia Querida pega o Remo, no Mangueirão, no próximo sábado, às 16h15.

 

Câmara paga R$ 424 mil para abonar ausências de deputados

 

 
A Mesa Diretora da Câmara perdoou neste ano 414 faltas de parlamentares em sessões deliberativas que tiveram como justificativa eventos político-partidários, atrasos de voo, reuniões em ministérios e outros motivos não ligados a problemas de saúde. A decisão terá um custo de R$ 424,5 mil para a Casa pelo ressarcimento dos deputados faltosos, que já tiveram o valor descontado do salário.
 
Do total de faltas, 226 foram abonadas em bloco, por unanimidade, na reunião dos membros da Mesa Diretoria realizada nesta última quinta-feira (24). As demais 188 foram anistiadas em uma única reunião em maio.
 

 

Segundo a Terceira Secretaria da Câmara, responsável por examinar as justificativas de faltas, a maior parte das ausências – 274 – foi por participação em eventos político-partidários. A secretaria não forneceu os nomes dos deputados que tiveram as faltas abonadas nem os dados de 2016.
 
Para obrigar os parlamentares a passarem mais tempo em Brasília, o hoje deputado cassado e preso Eduardo Cunha (PMDB-RJ), quando era presidente da Câmara (entre fevereiro de 2015 e maio de 2016), restringiu o direito de abonar as faltas a líderes e integrantes da Mesa, prática que foi abandonada após sua saída. O objetivo era garantir a presença dos deputados principalmente às quintas-feiras. Até 2015, não ocorriam sessões de votação às quintas. Hoje, as sessões deliberativas na Casa continuam sendo realizadas em três dias da semana, a partir das terças-feiras, mas, nas últimas semanas são raras as votações neste dia.
 
Segundo ato da Mesa Diretora de 2010, são aceitas como justificativas para faltas licenças para tratamento de saúde, internação em instituição hospitalar, doença grave ou falecimento de parente até segundo grau, participação em missão oficial autorizada pela Câmara ou “atendimento de obrigação político-partidária”. Os motivos de saúde, desde que comprovados por atestados médicos, são abonados diretamente pela Terceira Secretaria, mas as faltas por participação em eventos políticos e missões oficiais precisam do aval da Mesa.
 
As faltas são descontadas dos salários dos parlamentares, que têm até 30 dias para apresentar a justificativa. Cada ausência leva ao desconto de uma diária do salário. Os deputados recebem, atualmente, R$ 33.763, em valores brutos. Se a falta for abonada pela Mesa Diretora, porém, a Câmara tem de devolver os recursos descontados. Caso o deputado não compareça a 1/3 das sessões ordinárias e as faltas não sejam abonadas, ele pode perder o mandato.
 
Regimento: Na reunião de quinta-feira, a decisão unânime foi tomada por quatro dos sete membros da Mesa presentes: Fábio Ramalho (PMDB-MG), 1.º vice-presidente da Câmara; Fernando Giacobo (PR-PR), 1.º secretário; Mariana Carvalho (PSDB-RO), 2.ª secretária; e João Henrique Caldas (PSB-AL), 3.º secretário. “Todas (as justificativas) estavam dentro do regimento. É mais coisa pontual. Tem gente que estava na Casa e não chegou a tempo para votação, gente que estava participando de evento do partido, essas coisas”, disse Caldas.

 

A decisão irritou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Ele disse que respeitará as decisões da Mesa, mas espera que, da próxima vez, as faltas não sejam abonadas. “Não estava na reunião no momento em que foi tomada, pois estava presidindo a sessão. Respeito a decisão do colegiado, mas espero que, na próxima vez em que esse assunto for deliberado, a maioria decida pelo seu indeferimento”, disse Maia, que, na reunião de maio, aprovou o abono de 188 faltas junto com outros membros da Mesa. (Via: Estadão)
 

 

Preso federal custa aos contribuintes R$ 2.270 por mês

 

Penitenciárias federais gastaram R$ 3 mi em comida. Em datas comemorativas, presos ganham chocolate e torta

O governo federal já desembolsou, entre janeiro e junho de 2017, R$ 7,7 milhões para custear as quatro penitenciárias federais que o País tem. Desse total, R$ 3 milhões (39,2%) foram às empresas responsáveis por fornecer a alimentação dos detentos, segundo levantamento feito com base em dados da Transparência.

Em 30 de junho, juntas, as unidades de Mossoró (RN), Porto Velho (RO), Campo Grande (MS) e Catanduvas (PR) tinham 569 detentos, de acordo com o Ministério da Justiça. Sendo assim, cada preso custou, em média, R$ 13.625,20 em 2017, ou R$ 2.270 por mês. O Ministério da Justiça tem uma cifra ainda maior. A pasta diz que o custo individual dos presidiários é de R$ 3.800 mensais, sem mencionar como esse montante é calculado. 

Somente com alimentação, o gasto com cada detento no primeiro semestre foi de R$ 5.338,75, em média, ou quase R$ 900 mensais. É nessas cadeias de segurança máxima em que estão alguns dos criminosos mais perigosos do País. Fernandinho Beira-Mar, por exemplo, cumpre pena em Mossoró. Cada preso recebe seis refeições diárias, todas compradas de empresas especializadas, vencedoras de licitação.

 

O edital para o fornecimento das refeições é de 2015 e os contratos com as empresas vencedoras foram prorrogados até a metade do ano que vem.

Entre os itens exigidos para o café da manhã dos presos estão: leite integral, pão francês, café com açúcar e margarina ou queijo. O lanche matinal é uma fruta.

O almoço deve ter arroz (pode ser substituído por macarrão ou vegetais), feijão carioquinha ou preto, farinha, uma proteína (frango, peixe, carne vermelha ou ovo), legumes, salada de folhas, fruta da época ou sobremesa doce (finais de semana) e suco ou refresco.

 

No meio da tarde, tem o lanche, com biscoito sem recheio, doce ou salgado, margarina, fruta de época ou suco e bolo simples.

O jantar segue os mesmos moldes do almoço. Os detentos também recebem uma ceia, que pode conter pão francês, margarina, fruta, biscoito e suco.

Em datas comemorativas, eles ainda ganham refrigerante, chocolate e torta.

 

Os últimos dados disponíveis mostram que Porto Velho é a penitenciária que mais gastou até agora com alimentação dos 150 internos: R$ 788,9 mil. Catanduvas tem menos detentos (127) e uma despesa muito próxima: R$ 784,2 mil. Essa é a unidade com o custo mais alto de alimentação por preso: R$ 6.174, em média, até julho.

Levantamento do Depen (Departamento Penitenciário Nacional) mostra que até dia 9 de agosto haviam sido servidas entre 828 e 948 refeições por dia nas penitenciárias. Além as refeições diárias, os presos também têm direito a serviço de lavanderia para uniformes e roupas de cama. As peças são lavadas semanalmente.

 

O preço disso? R$ 309.958,10. É como se cada preso gastasse cerca de R$ 100 mensais com o serviço. Somente a unidade de Mossoró desembolsou R$139.304,72 de lavanderia. A cifra é a mais alta entre as quatro. A mão de obra terceirizada, que inclui serviços de limpeza e manutenção, é o segundo item mais custoso: R$ 2 milhões.

Os gastos com energia elétrica respondem por 9,2% dos custos das penitenciárias federais: R$ 717,4 mil. Mesmo na crise, o governo manteve as despesas com as cadeias administradas pelo Depen.  “Não houve corte de verbas para as penitenciárias federais uma vez que são geridas com recursos do Funpen [Fundo Penitenciário Nacional] e existe decisão do Supremo (ADPF 347) que proíbe o contingenciamento de verbas do Fundo”, disse o ministério em nota.

 

Paulo Câmara diz que Petrolina será primeiro município totalmente saneado

 

 

Em meio ao racha do PSB, Paulo Câmara (PSB) fala ao lado do prefeito Miguel Coelho (PSB) sobre a importância de ”governar fazendo parcerias”

JC Online – Marco Aurélio / Rádio Jornal Petrolina

O governador Paulo Câmara (PSB) cumpriu agenda na tarde deste sábado (26) no município de Petrolina, Agreste do estado, onde realizou a inauguração da praça Irmã Dourado, no Bairro João de Deus, uma das unidades do projeto “Praças da Juventude”. Em meio ao racha do PSB e a possível debandada da família Coelho para outro partido, Paulo fala ao lado do prefeito Miguel Coelho (PSB) sobre a importância de “governar fazendo parcerias” e diz que Petrolina será pioneira no estado como cidade totalmente saneada.

“Petrolina com certeza vai ser o primeiro município de Pernambuco a ter o saneamento em todas as casas. Eu quero fazer de Petrolina um exemplo para os outros municípios, para a gente conseguir no futuro ter esse saneamento chegando a todos os municípios pernambucanos. Por isso que é tão importante governar fazendo parcerias, buscando os apoios sentando na mesa e buscando tirar do papel aquilo que é importante e o que é fundamental”, disse o governador.

 

 

Ex-ministro do STJ recebeu R$ 5 milhões da Camargo Corrêa, diz Antonio Palocci

 

 

A intenção do suborno, segundo Palocci, era a de barrar a Operação Castelo de Areia. O repasse do dinheiro para Cesar Rocha foi depositado em uma conta fora do país.

JC Online / Foto: Associação dos Magistrados da Bahai

 

O ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci disse que o ex-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Cesar Asfor Rocha, recebeu pelo menos R$ 5 milhões da construtora Camargo Corrêa. A intenção do suborno era a de barrar a Operação Castelo de Areia da Polícia Federal.

A operação, deflagrada em 2009, tinha como alvo outras empresas além da Camargo Corrêa e vários políticos que depois foram investigados pela Lava Jato.

Palocci afirmou que a negociação da propina foi comandada pelo advogado Márcio Thomaz Bastos, que morreu em 2014, e vinha com a promessa de apoio para que o ex-presidente do STJ fosse indicado para uma vaga no Supremo Tribunal Federal.

 

Ainda segundo o próprio Palocci, que está em negociação de delação premiada, o repasse do dinheiro para Cesar Rocha foi depositado em uma conta fora do país. Tanto Rocha como a Camargo Corrêa e a família de Thomaz Bastos negaram as acusações de Palocci, que está preso em Curitiba.

A Operação Castelo de Areia foi paralisada pelo próprio ministro, na época presidente do STJ, em janeiro de 2010. Cesar Asfor Rocha concedeu uma liminar para barrar a operação.

A decisão acolhida por Rocha na época teve base na alegação, feita pelos advogados da Camargo Corrêa, de que as interceptações telefônicas da ação vieram de uma denúncia anônima, o que seria ilegal.

Segundo a Folha de São Paulo, um levantamento do STJ, feito a pedido do jornal paulista, mostrou que a decisão do então ministro do STJ era inédita.

 

“Após o impeachment, o PT fez um discurso regressivo”, afirma senador Armando Monteiro

 

 

O senador Armando Monteiro participou do quadro Audiência Marcada da Rádio Jornal  desta sexta-feira

Rádio Jornal / Foto: Juliana Nascimento

 

O Comentário foi dito ao comunicador Ednaldo Santos, no quadro Audiência Marcada, no programa Balanço das Notícias dessa sexta-feira (25), na Rádio Jornal. A aliança e a divergência entre PTB e PT foram alguns dos assuntos debatidos no programa.

Mesmo discordando em alguns pontos do Partido dos Trabalhadores, o Senador fez questão de ressaltar a amizade e respeito pelo ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. Prova disso foi o encontro que ele teve com Lula na manhã desta sexta- feira (25.05), na passagem do ex-presidente em Pernambuco. “Sempre que Lula vem gosto de conversar com ele, eu me aproximo da postura dele e estivemos juntos quando ele era presidente nos encontros pelo Brasil”.

 

 Armando afirma ser a favor da privatização

 

Na semana em que o Governo Federal anunciou a privatização em algumas empresas no país, Armando não ficou de fora do tema e se posicionou a favor da venda de instituições para setor o privado. “A privatização é necessária, mas é preciso que se faça com cuidado e tenha estratégias de vendas e criação de um marco regulatório”.

O Senador também comentou que o sistema da Eletrobrás não é uma questão de processo rápido de privatização. Para ele, é preciso ter governança corporativa e que se garanta investimentos.

 

Armando Monteiro informou  também que é necessário reduzir os gastos nas campanhas eleitorais e que muitas águas vão rolar até as mudanças políticas serem aprovadas.

Senador critica PSB

 

Na política local, o Petebista não economizou nas críticas ao governo. “O PSB já está esgotado em Pernambuco, a sensação é que o presente está ruim e não há expectativas para o futuro”, enfatizou. Armando comentou sobre a violência no Estado, e admitiu que na época de Eduardo Campos os resultados eram positivos e tinha liderança política. Segundo Armando, agora, o governo Paulo Câmara peca por negar a insegurança existente no estado e não assumir o fim do Programa Pacto Pela Vida. “Está na hora do governador acordar e chamar a classe política, o nível de alienação substima o povo pernambucano”, resumiu.

 

Ainda no cenário pernambucano, o Senador garantiu estar presente no palanque de Bruno Araújo na próxima segunda-feira (28), em Caruaru, no agreste do Estado, onde vai participar de uma cerimônia de entrega de conjuntos habitacionais para o município. O evento também vai contar com presença da prefeita Raquel Lyra, além dos outros Ministros pernambucanos, Mendonça Filho (DEM), Fernando Bezerra Filho (PSB) e Raul Jungmann (PPS).

 

FBC quer Campus da Univasf em Araripina

 

 

Nesta sexta (25) em Salgueiro, o senador fez um pedido ao ministro Mendonça Filho, para que ele antes de deixar o cargo, instale um Campus da Univasf em Araripina

Por Roberto Gonçalves / Foto: reprodução

O senador Fernando Bezerra Coelho prestigiou nesta sexta-feira pela manhã, a cerimônia de autorização para a instalação do campus da Universidade Federal do São Francisco (Univasf) na cidade de Salgueiro, no Sertão Central de Pernambuco.

Evilásio Mateus, Raimundo Pimentel, João Erlan e Bringel Filho estiveram no evento

Na oportunidade, FBC fez um pedido ao ministro da Educação Mendonça Filho, para que ele antes de deixar o cargo, instale um Campus da Univasf em Araripina, fortalecendo ainda mais, a educação superior no Sertão de Pernambuco.

 

 

Deixe uma resposta

Cidades Acessando Blog

Panificadora Samuel
Escola Monteiro Lobato
 

CLICK AQUI E CONFIRA AS FOTOS!

Educação Infantil,

Ensino Fundamental e Médio

(87) 3838.1481 (87) 3838.2246

Siteemonteirolobato.com.br

Dr. Jamildo Carvalho
Desfile Cívico Escola M.L

AABB

Bloco a Onda 2017

Galeria de Fotos!